Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Confira como foi o primeiro dia da Semana Nacional de Arquivos
Início do conteúdo da página

Confira como foi o primeiro dia da Semana Nacional de Arquivos

Escrito por Tassia Verissimo | Publicado: Segunda, 03 de Junho de 2019, 18h50 | Última atualização em Segunda, 03 de Junho de 2019, 19h17

A Semana é uma temporada de eventos, realizados em arquivos e outras instituições de memória, que busca aproximação com a sociedade 

A conferência de abertura da 3ª Semana Nacional de Arquivos aconteceu na manhã de hoje, 3 de junho, na Fundação Casa de Rui Barbosa. Com o tema “Desenhando Arquivos”, fizeram parte da mesa de abertura o prof. M.e. Leandro de Abreu Jaccoud, da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), Letícia Grativol, coordenadora de Pesquisa, Educação e Difusão do Arquivo Nacional, e o prof. Dr. Victor Manoel Marques da Fonseca, da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Leticia Grativol ressaltou a importância da mobilização nacional da 3ª Semana Nacional de Arquivos, que levou à inscrição de 211 instituições e mais de 500 atividades programadas, com todas as regiões do país representadas. Para a coordenadora, “a Semana Nacional de Arquivos já faz parte da programação anual das instituições arquivísticas brasileiras” e destacou ainda que “o Arquivo Nacional preparou uma programação especial em sua sede e no Distrito Federal. A ideia é que nas próximas edições a instituição atue na composição de uma programação unificada na cidade do Rio de Janeiro, em fortalecimento local”.

Fechando a conferência, Victor Fonseca discursou sobre a importância da 3ª Semana Nacional de Arquivos a fim de chamar a participação da sociedade e das autoridades governamentais. Victor comentou que a 3ª SNA, por fazer parte de um evento internacional, oferece uma projeção mundial, inserindo as instituições arquivísticas brasileiras no diálogo com outros países e outras instituições. Para ele, o evento apresenta duas vertentes: “uma delas é mostrar os arquivos para a sociedade, pautar como a população vai ver esse locais. Mas acho que tem que ser também um momento de quem está na área refletir sobre como estamos conduzindo o trabalho, apesar de todos os problemas e de todas as limitações, uma vez que seguimos determinações de conduções externa a nós. Há uma série de espaços individuais entre as instituições e as pessoas em que elas podem agir.”

Ainda na parte da manhã desta segunda-feira, foi realizada no miniauditório da sede do Arquivo Nacional a oficina “Gerenciamento de riscos para bens culturais”, ministrada por Tiago César da Silva, servidor da Coordenação de Preservação do Acervo do Arquivo Nacional. Na atividade, foram abordados aspectos do gerenciamento e do tratamento de riscos, como a realização de diagnóstico para a identificação de possíveis sinistros, a valoração do acervo e o plano de emergência elaborado por técnicos da instituição.

Tiago Silva destacou a importância do acervo do Arquivo Nacional para fins probatórios e acrescentou que o trabalho de gerenciamento de riscos é uma ferramenta necessária para o planejamento e para apoiar a tomada de decisão por parte gestores e da administração pública. Após a apresentação, foi realizada uma oficina prática com os presentes, abordando os conceitos discutidos anteriormente.

Oficina "Gerenciamento de riscos para bens culturais”


Na parte da tarde, foi realizada a mesa-redonda intitulada “Gestão e preservação – um binômio indissociável”. O evento foi transmitido ao vivo pelo Facebook oficial do Arquivo Nacional e pode ser assistido aqui. O debate contou com as presenças de Alex Holanda e Raquel Dias Silva Reis, arquivistas da instituição.
Alex Holanda apresentou o processo de virtualização das atividades e dos serviços governamentais, que é comumente chamado Governo Eletrônico, e seus impactos na atividade arquivística. Holanda ressaltou a necessidade da gestão de documentos digitais e a articulação dessa atividade com a preservação e o acesso. Segundo o arquivista, “Fazer arquivo é fazer gestão, fazer preservação e dar acesso”.
Já Raquel Dias apresentou a experiência do Arquivo Nacional nos testes realizados no Archivematica, sistema gratuito de preservação digital de código aberto, que possibilita o acesso de longo prazo da memória digital.

Mesa-redonda “Gestão e preservação – um binômio indissociável”


As atividades do primeiro dia da SNA no Arquivo Nacional se encerraram com a mesa-redonda “Desenhando arquivos: prospecções”, que contou com Neide De Sordi, diretora-geral do Arquivo Nacional, e Beatriz Kushnir diretora-geral do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. A mediação foi realizada pela coordenadora de Processamento e Preservação do Acervo, Aluf Elias, e o vídeo da transmissão pode ser conferido aqui.

Mesa-redonda “Desenhando arquivos: prospecções”


A 3ª Semana Nacional de Arquivos acontece de 3 a 8 de junho em arquivos de todo o país oferecendo ao público atividades como palestras, oficinas, eventos artístico-culturais, entre outros. Ela está inserida em dois eventos do calendário mundial: International Archives Week, idealizada pelo ICA, e Ano Ibero-Americano dos Arquivos para a transparência e a memória/2019, efeméride expressa na declaração da XIX Conferência Ibero-Americana de Ministros de Cultura.

Acompanhe a programação completa no Brasil aqui.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página