Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Série Mulheres e o Arquivo: Ruth de Souza
Início do conteúdo da página

Série Mulheres e o Arquivo: Ruth de Souza

Escrito por Luiz Salgado Neto | Publicado: Quarta, 22 de Mai de 2019, 12h20 | Última atualização em Quarta, 22 de Mai de 2019, 12h24

O Arquivo Nacional traz Ruth de Souza como a personalidade de destaque desta semana na série "Mulheres e o Arquivo". A série é uma iniciativa do portal Arquivo Nacional que procura levar aos seus leitores o perfil de personalidades femininas com trajetórias de vida marcantes, bem como os itens documentais que fazem parte do acervo da instituição.

Ruth de Souza construiu uma bela e bem sucedida carreira no teatro, cinema e televisão, tendo sido pioneira em todos esses campos artísticos no Brasil. A atriz participou do Teatro Experimental do Negro – TEN, companhia responsável pela formação da primeira geração de atores negros no país. O TEN foi criado com o objetivo de valorizar a cultura e a identidade afro-brasileiras, assim como criar novos espaços de atuação, lançando diversos nomes na dramaturgia do país, entre eles o de Ruth de Souza.

A peça de estreia do TEN e de Ruth de Souza foi “O Imperador Jones”, de Eugene O’Neill, montada em 8 de maio de 1945, há 74 anos. A peça foi encenada no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Ruth de Souza tornou-se a primeira atriz negra a se apresentar nesse palco. No cinema, por sua impecável interpretação no filme “Sinhá Moça” (1953), foi indicada ao prêmio Copa Volpi de melhor atriz no Festival de Veneza. Tornou-se, assim, a primeira atriz brasileira a ter concorrido em uma premiação internacional de cinema.

Ruth de Souza, janeiro de 1955.

Arquivo Nacional. Fundo Correio da Manhã. BR_RJANRIO_PH_0_FOT_44216_004


Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons Atribuição-Sem Derivações 3.0 Não Adaptada (CC BY-ND 3.0)

registrado em:
Fim do conteúdo da página