Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Memórias da diplomacia brasileira: Rui Barbosa e a Conferência de Haia de 1907
Início do conteúdo da página

Memórias da diplomacia brasileira: Rui Barbosa e a Conferência de Haia de 1907

Escrito por Tassia Verissimo | Publicado: Quarta, 27 de Fevereiro de 2019, 14h51 | Última atualização em Quarta, 27 de Fevereiro de 2019, 14h54

O Arquivo Nacional possui entre os acervos sob sua guarda, uma série de documentos que têm relação direta com a diplomacia brasileira. O fundo Afonso Pena, por exemplo, contém uma carta escrita por Rui Barbosa ao presidente Afonso Pena sobre sua indicação para representar o Brasil na Conferência de Haia, na Holanda, em 1907. Rui Barbosa de Oliveira foi um advogado, jornalista, jurista, político, diplomata, ensaísta e orador que nasceu em Salvador, Bahia, em 5 de novembro de 1849, e faleceu em Petrópolis, Rio de Janeiro, em 10 de março de 1923. 

A conferência de Haia foi realizada entre 15 de junho e 19 de outubro de 1907 e contou com a participação de 44 países. Dentre os seus objetivos, estava o aprimoramento dos mecanismos internacionais de resolução pacífica de conflitos entre as nações. Rui Barbosa foi o chefe da delegação brasileira e teve papel fundamental na elaboração de tratados para impor limites a guerra e a favor da paz. Sua participação na conferência foi tão importante que ele tornou-se conhecido no meio diplomático como "Água de Haia". Curiosamente a correspondência aqui apresentada mostra que Rui Barbosa temia que a tarefa de representar o país na conferência estava acima de suas capacidades.

Se interessou pelo assunto? Clique aqui e leia o documento na íntegra.

Na imagem, primeira página da carta de Rui Barbosa ao presidente Afonso Pena, sobre sua indicação para representante brasileiro na Conferência de Haia. Petrópolis, 30 de março de 1907. Arquivo Nacional. Fundo Afonso Pena. BR_RJANRIO_ON_0_COR_0018_0019

registrado em:
Fim do conteúdo da página