Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Série Presidentes da República - Augusto Tasso Fragoso
Início do conteúdo da página

Série Presidentes da República - Augusto Tasso Fragoso

Escrito por Claudio Giolito | Publicado: Segunda, 04 de Fevereiro de 2019, 08h37 | Última atualização em Terça, 29 de Janeiro de 2019, 12h16

Augusto Tasso Fragoso, general. Militar, nascido na cidade de São Luís, estado do Maranhão, em 28 de agosto de 1869. Teve seu ano de nascimento alterado para 1867, para ingressar na vida militar. Estudante da Escola Militar da Praia Vermelha, foi um dos alunos que divulgaram na academia discursos abolicionistas de Rui Barbosa, em agosto de 1887. Freqüentou os cursos de estado-maior e engenharia da Escola Superior de Guerra, bacharelando-se em matemática e ciências físicas e naturais. Participou ativamente da proclamação da República, incorporado às tropas do 2º Regimento de Artilharia em 1889. Foi eleito deputado constituinte pelo Maranhão (1890), contra sua vontade. Apoiou o movimento que levou à renúncia de Deodoro da Fonseca (1891), sendo nomeado chefe do Departamento de Obras e Viação Geral da capital (1891-1892), após recusar a proposta de Floriano Peixoto para ser o prefeito do Distrito Federal. Participou da repressão à Revolta da Armada (1893-1894), sendo ferido em combate. Serviu na comissão de limites com a Bolívia (1900-1901), e foi adjunto militar à delegação brasileira na Argentina (1909-1910). Foi comandante do 8º Regimento de Cavalaria em Uruguaiana (RS), exercendo diversas vezes o comando interino da 2ª Brigada de Cavalaria (1910-1915). Ocupou a chefia da Casa Militar do presidente Venceslau Brás (1914-1917). Comandou o 1º Regimento de Cavalaria, no Distrito federal, em 1918, e a 4ª Brigada de Cavalaria no mesmo ano. Exerceu a direção de Material Bélico (1918-1922). Foi encarregado do inquérito que apurou a responsabilidade dos tenentes Eduardo Gomes e Antônio de Siqueira Campos no episódio conhecido como "os 18 do Forte", ocorrido em 1922. Chefiou o Estado-Maior do Exército (1922-1929), e, por ser o oficial da ativa mais antigo à época da Revolução de 1930, aceitou a proposta de Mena Barreto para liderar a operação militar de deposição do presidente e os entendimentos com outros generais da ativa, presidindo a junta governativa que assumiu o controle do país até a chegada de Getúlio Vargas à capital. Foi nomeado por Vargas mais uma vez chefe do Estado-Maior do Exército (EME) em 1931, se demitindo no ano seguinte. Em 1933, foi nomeado ministro do Supremo Tribunal Militar (STM - hoje, Superior Tribunal Militar), e exerceu a vice-presidência do órgão em 1934, foi aposentado compulsoriamente ao atingir o limite de idade em 1938. Apesar de seu estado de saúde bastante precário, passou a se dedicar às suas pesquisas históricas. Faleceu no Rio de Janeiro, em 20 de setembro de 1945.

Junta governativa 

Com a eclosão do movimento revolucionário de 1930, a junta governativa composta pelos generais Tasso Fragoso e Mena Barreto e pelo almirante Isaías de Noronha depôs o presidente Washington Luís, e assumiu o controle do país. Em meio a pressão de manifestações populares, dos movimentos militares como o de Minas Gerais, revolucionários gaúchos chegam ao Rio de Janeiro, obrigando a junta a entregar a chefia do governo a Getúlio Vargas em 3 de novembro de 1930.

 

Saiba mais sobre os presidentes da República acessando o site "Centro de Informações de Acervos dos Presidentes da República - CIAPR", do Arquivo Nacional. O CIAPR  é um sistema único de informação capaz de fornecer ao cidadão, de maneira uniforme e sistemática a possibilidade de localizar e ter acesso aos acervos documentais dos presidentes da República, de natureza arquivística, bibliográfica e museológica, produzidos e acumulados antes, durante e depois do mandato presidencial, estejam guardados em instituições públicas, entidades privadas ou mesmo em mão de particulares ou do próprio titular. Estão disponíveis ao usuário neste site, informações dos acervos sob a guarda de 19 detentores pessoas jurídicas e 13 detentores pessoas físicas distribuídos pelos estados do Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e no Distrito Federal. 

As biografias e os períodos presidenciais foram originalmente publicados no livro Os presidentes e a República: http://www.arquivonacional.gov.br/media/Presidentes-jan-2010.pdf

Créditos: http://www.an.gov.br/crapp_site/default.asp

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página