Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Mesa de debate marca lançamento de novo número da Revista Acervo
Início do conteúdo da página

Mesa de debate marca lançamento de novo número da Revista Acervo

Escrito por Camila Souza | Publicado: Terça, 18 de Dezembro de 2018, 14h23 | Última atualização em Terça, 18 de Dezembro de 2018, 16h45

A revista Acervo, publicação quadrimestral do Arquivo Nacional, lançou no dia 17 de dezembro a edição comemorativa dos 180 anos da instituição com o tema “Estado da arte da arquivologia no Brasil”. O evento contou com a presença de especialistas renomados como os autores Angelica Marques (UnB) e Renato Venancio (UFMG), convidados para compor a mesa de debates ao lado de um dos editores do dossiê, Adriana Cox Hollós. O evento reuniu especialistas para discutir o cenário atual da pesquisa em Arquivologia no país. 

O Coordenador-Geral de Acesso e Difusão Documental, Marcos André Rodrigues de Carvalho, deu início ao evento. Segundo ele: “Uma das ações do Arquivo Nacional para a difusão do acervo e incentivo à produção de conhecimento científico, a revista acervo é publicada pela instituição desde 1986. Ao longo de mais de 30 anos, a revista veio ampliando suas ações em busca da qualidade e visibilidade, publicando estudos e fontes nas áreas das ciências humanas e sociais aplicadas, principalmente história e Arquivologia”

Organizada por Adriana Cox Hollós e Eliezer Pires da Silva, pesquisadores da área e servidores do Arquivo Nacional, esse número da revista apresenta uma coletânea de artigos que se tornará referência entre os profissionais da área. Segundo a servidora Adriana: “Esta edição é dedicada ao Estado da arte e da pesquisa. Para a gente, é uma edição muito importante, tendo em vista ter reunido vários autores, professores, pesquisadores da área e sintetiza um pouco dos grandes avanços que tivemos na Arquivologia no Brasil”. Já o organizador Eliezer afirma: “Esta revista é muito importante. Ela não é quantitativamente extensa, são poucos artigos, mas eles são bem representativos. E nesta edição, vale destacar o fato de que foi além da média a quantidade de submissão e isso significa para a revista um indicador de quanto ela é representativa para os autores acadêmicos da Arquivologia. Eles querem ter a oportunidade de usar este canal de comunicação científica."

Abrindo o dossiê, o artigo de Angelica Marques mapeia a produção científica atual sobre Arquivologia. Em entrevista à Assessoria de Comunicação do Arquivo Nacional, a autora destaca: “Ter um número sobre o Estado na arte da produção científica arquivística brasileira é muito importante porque a produção científica é o termômetro da área. Então saber o que se produz, onde se produz e quais são as temáticas. Nós temos, dessa forma, uma perspectiva das formas de pesquisa. Então esse número da revista é uma bússola no qual a gente vai poder delinear os caminhos de pesquisas complementares. Me deixa muito feliz poder participar e poder vir ao lançamento.” Para o professor Renato Venancio: "Esta edição é muito importante porque de certa maneira faz um balanço desse aumento da importância da Arquivologia no campo da produção científica no Brasil."

Na sequência, José Maria Jardim aborda a governança arquivística em seu artigo. O controle de vocabulário nos arquivos é debatido no artigo de Johanna Smit, entre outros temas abordados ao longo deste número especial. A edição traz ainda uma entrevista com a diretora do arquivo nacional do México, Mercedes de Vega.

A participação do lançamento da revista foi aberta ao público, sem necessidade de inscrição e foram emitidos certificados. O evento teve transmissão ao vivo.

Clique aqui para conferir a primeira parte e aqui para conferir a segunda.

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página