Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Saiba como foi o último dia de programação do Festival Arquivo em Cartaz 2018
Início do conteúdo da página

Saiba como foi o último dia de programação do Festival Arquivo em Cartaz 2018

Escrito por Tassia Verissimo | Publicado: Sexta, 14 de Dezembro de 2018, 19h43 | Última atualização em Sexta, 14 de Dezembro de 2018, 19h43

O último dia da edição de 2018 do Arquivo em Cartaz – Festival Internacional de Cinema de Arquivo contou com a sessão Arquivos do Amanhã, uma mostra que exibiu material audiovisual produzido por crianças e jovens de 10 a 24 anos que documentaram eventos, fatos, lugares, costumes e/ou tradições significativas do seu tempo e servem como memória audiovisual para os arquivos futuros. 

Na parte da tarde, a partir das 15 horas, foi realizada a Mostra Oficina Lanterna Mágica, com exibição de filmes realizados durante essa oficina técnica. A Lanterna Mágica nasceu da percepção da importância de incentivar a utilização de imagens de arquivo como fonte de inspiração artística e conhecimento científico. A partir de uma seleção de filmes sob a guarda do Arquivo Nacional, os alunos participam de discussões teóricas e experimentações práticas para produzir uma obra final elaborada e realizada em pequenos grupos. Na edição de 2018, as aulas foram ministradas por Aline Torres, Antônio Laurindo, Cadu Marconi, José Carlos Faria, José Quental, Patrícia Machado e Viviane Gouvêa.
 
Após a Mostra Oficinal Lanterna Mágica, foi exibida a Mostra Competitiva com os filmes de média-metragem "5105 História de uma fuga de Mathausen" (Espanha – doc – 30 min – 2017), "Sem título #4: Apesar dos pesares, na chuva há de cantares" (Brasil – EXP – 29 min – 2018), "Rey, ciência em defesa da vida" (47 min, Brasil, 2018), "A armadilha de Carmem Miranda" (19 min, Brasil, 2017), "Magalhães" (23 min, Brasil, 2018) e "FotogrÁFRICA" (25 min, Brasil, 2016).
 
 
Também foi exibido na Mostra Competitiva o longa nacional "Mussum, um filme do cacildis", com direção de  Suzanna Lira. O documentário conta a trajetória do músico e comediante Mussum. Primeiro como vocalista do grupo "Os Originais do Samba" e depois no cinema e na TV, como integrante do humorístico "Os Trapalhões", grupo que revolucionou a forma de fazer humor na teledramaturgia brasileira. Com trilha original de Pretinho da Serrinha, o filme revela, de forma irreverente, quem foi esse artista que brilhou por diversas áreas das artes brasileiras e que continua presente até hoje como um ícone pop.
 
 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página