Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Arquivo Nacional realiza treinamento de Técnica Milenar de Marmorização
Início do conteúdo da página

Arquivo Nacional realiza treinamento de Técnica Milenar de Marmorização

Escrito por Camila Souza | Publicado: Terça, 16 de Outubro de 2018, 12h24 | Última atualização em Terça, 16 de Outubro de 2018, 12h54

O Arquivo Nacional (AN) realizou no laboratório da sala da Preservação da Coordenação Regional no Distrito Federal (COREG) treinamento sobre a técnica milenar de marmorização em papéis para uma seleta turma de aprendizes. A capacitação teve duração de dois dias e aconteceu na primeira semana de outubro. O servidor do AN, Antônio Edson, transmitiu os conhecimentos da marmorização em uma capacitação promovida pela instituição. Edson utiliza a técnica há mais de 30 anos em papéis, livros, caixas, acondicionamentos, tecidos. “É uma técnica muito divertida e os padrões podem ser reproduzidos várias vezes”, relata o servidor.

Em um clima descontraído, as aprendizes conheceram a técnica. “Foi uma experiência incrível, pela beleza artística da atividade desenvolvida, pela oportunidade que consideramos uma terapia e pela possibilidade de estarmos interagindo em grupo, produzindo e desenvolvendo conhecimentos práticos”, relataram as servidoras Maria Patrícia e Vilma Braz que participaram da capacitação.

O papel marmorizado é obtido através de um processo de coloração decorrente de uma reação química entre duas substâncias incompatíveis entre si. A técnica consiste em verter tintas a óleo ou a água espalhando-as sobre uma solução colante, de modo que as cores permaneçam na superfície sem se mesclar nem dispersar. O papel, que em seguida é deitado na superfície, absorve lentamente as cores produzindo o efeito desejado.

Acredita-se que essa técnica tenha surgido na China do século III. No início tinha uma função puramente decorativa da caligrafia. Sucessivamente foi empregado na encadernação para revestir estojos de joias, baús, na confecção de leques, etc. No século XVIII as cartas marmorizadas tornaram-se uma arte reconhecida na França e na Itália. Posteriormente o papel foi utilizado nas encadernações e em adornos de livros.

 

 

 

Fonte: COREG

Fotos: Eline Caldas

registrado em:
Fim do conteúdo da página