Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Difusão > Arquivo na História > Serie: Acervo da Comissão Nacional da Verdade - CNV
Início do conteúdo da página

Serie: Acervo da Comissão Nacional da Verdade - CNV

Escrito por Mirian Lopes Cardia | Publicado: Sexta, 20 de Abril de 2018, 10h06 | Última atualização em Segunda, 19 de Março de 2018, 10h06 | Acessos: 682

A Lei Federal nº 12.528/2011, ao definir a competência da Comissão Nacional da Verdade (CNV), apresentou uma lista de quatro graves violações de direitos humanos que deveriam ser investigadas em razão de sua gravidade: tortura, morte, desaparecimento forçado e ocultação de cadáver. A expressão graves violações de direitos humanos designa a violação a direitos considerados inegociáveis, como o direito à vida e à integridade pessoal, não sendo suscetíveis de cancelamento mesmo em situações excepcionais – a guerra, o estado de emergência, entre outros casos.

A fotografia mostra a fachada, do 1º Batalhão de Polícia do Exército onde funcionou o DOI-CODI, no Bairro da Tijuca na cidade do Rio de Janeiro. A segunda fotografia mostra as salas usadas como local de tortura de presos políticos.  Estima-se que no DOI-CODI 15 presos políticos foram executados e outros 33 tiveram seus cadáveres ocultados, estando desaparecidos até hoje.

Os ex-presos que sobreviveram à tortura, fizeram o reconhecimento de vários locais onde ocorreu a prática de tortura para os peritos da CNV: a “sala roxa”, local onde a temperatura variava ao extremo, conhecido como geladeira; a sala onde a vítima teve colocado sobre seu corpo um jacaré; a sala onde vítima ficou no “pau-de-arara” (modalidade de tortura largamente utilizada em todas as instalações militares e policiais, em que a vítima fica pendurada de cabeça para baixo, amarrada pelos pulsos e tornozelos, tendo um pedaço de madeira para segurar o peso do corpo.

Na maioria dos casos, no “pau de arara” o preso sofria também a aplicação de choques elétricos, mas podia ser submetido a toda sorte de sevícias. Rio de Janeiro, 23 de setembro de 2014. Acervo CNV.

Por: Equipe de Acesso e Difusão do Acervo 
        Coordenação Regional do Distrito Federal-COREG

ASCOM- Assessoria de Comunicação Social 

Visite nossas redes sociais:
Twitter - https://twitter.com/ArquivoBrasil
Facebook - https://www.facebook.com/arquivonacionalbrasil
Pinterest - https://br.pinterest.com/arquivonacional
Instagram - https://www.instagram.com/arquivonacionalbrasil
YouTube - https://www.youtube.com/c/ArquivoNacionalBrasil
MixCloud - https://www.mixcloud.com/ArquivoNacionalBrasil/
Flickr - https://www.flickr.com/photos/arquivonacionalbrasil/

Para consultar o acervo do Arquivo Nacional, acesse: 
http://www.arquivonacional.gov.br/consulta-ao-acervo/sian-sistema-de-informacoes.html

registrado em:
Fim do conteúdo da página