Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Já conhece a série partituras do fundo Discoteca Arquivo Nacional?

Escrito por Camila Souza | Publicado: Quarta, 25 de Março de 2020, 17h24 | Última atualização em Quarta, 25 de Março de 2020, 17h24 | Acessos: 1005

História arquivística (história da acumulação)

Acervo formado a partir de doações estimuladas pelo Arquivo Nacional, especialmente na gestão do diretor Raul Lima, entre os anos de 1970 e 1979. O Arquivo Nacional aproveitou a instituição do depósito legal de material fonográfico no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, lei n. 1691, de 16 de julho de 1968, para reafirmar suas preocupações com documentos sonoros produzidos pelo Governo Federal, assim como aqueles de origem particular, de valor histórico, em conformidade com o Regimento institucional de 1958 (decreto n. 44862, de 21 de novembro de 1958) e, mais adiante, com o regimento de 1975, para que tivessem a preservação como destino. Ainda em 1970, no que diz respeito à produção privada, o Arquivo Nacional solicitou apoio de diferentes entidades atuantes na área, como a Associação Brasileira de Produtores de Fonogramas, acertando diretamente o envio ao Arquivo Nacional dos produtos das gravadoras, com o compromisso de divulgar sistematicamente as doações por meio do próprio Mensário do Arquivo Nacional (MAN), periódico em voga naqueles anos. O Arquivo Nacional recebeu contribuições de diferentes gravadoras, como Angel, Candem, CBS, Chantecler, Companhia Brasileira de Discos, Continental, Copacabana, Discos Rosemblit, Elenco, Festa, Festas Discos, Fontana, Odeon, Phillips, Polydor, Premier, Radio Jornal do Brasil, RCA Victor, RGE, entre outras (cf. processo n. 08060.000148/2016-17). As contribuições encaminhadas ao Arquivo Nacional, em função dessa campanha, não se limitaram aos discos, acabando-se por reunir um número significativo de partituras impressas, procedentes, especialmente, da União Brasileira de Compositores (UBC) e da Sociedade Brasileira de Autores, Compositores e Editores Musicais (SBACEM). Esse conjunto de partituras foi objeto de análise e discussão, na década de 1980, quanto à sua compatibilidade com o que se julgava a linha de acervo institucional, predominando a visão de que era passível de avaliação, seleção e descarte (cf. Linha de acervo da Seção de Gravação de Som e Imagem do Arquivo Nacional, 1982. In: processo 08060.000148/2016-17). A listagem dessas partituras integrou o relatório de atividades da Seção de Gravação de Som e Imagem referente aos meses de agosto e setembro de 1984 (cf. processo 08060.000148/2016-17), reforçando-se, nesse relatório, a ideia de que, na sua maior parte, o conjunto não era compatível com a linha de acervo institucional. As partituras julgadas dentro da linha de acervo foram transferidas para a Seção de Arquivos Particulares (SAP) e passaram a integrar a coleção Partituras Musicais. As demais foram recomendadas à permuta, providência que não se efetivou ao longo do tempo. Em 2016, as ditas partituras não destinadas ao descarte ou permuta foram reavaliadas pela equipe responsável pelos Documentos Sonoros, optando-se por preservá-las, incorporando-se definitivamente ao acervo.

Perfazem o acervo 2039 partituras, que já foram digitalizadas e estão sendo incorporadas ao Sistema de Informações do Arquivo Nacional – SIAN para serem acessadas.

 Destacamos a partitura do Sambaim "Deixa a onda passar", de Assumpção Corrêa e José Lima

Código de Referência: BR RJANRIO J5.0.RTS.88/26

 

Fonte: Coordenação de Documentos Audiovisuais e Cartográficos.


Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons Atribuição-Sem Derivações 3.0 Não Adaptada (CC BY-ND 3.0)

registrado em:
Fim do conteúdo da página