Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

A meteorologia a serviço do Arquivo Nacional

Escrito por José Márcio Batista Rangel | Publicado: Quarta, 16 de Outubro de 2019, 10h20 | Última atualização em Quarta, 16 de Outubro de 2019, 10h24 | Acessos: 313

 Raíza Pinheiro Victor de Araujo, técnica de meteorologia, e sua equipe de três estagiárias, Isadora Andrade Pereira, Ana Cristina Guimarães Ventura e Ana Carolina de Figueiredo Pinto, trabalham na Gestão de Preservação de Depósito, colaborando com conservação do acervo do Arquivo Nacional. Toda a equipe é formada pelo Centro Federal de Educação Suckow da Fonseca (Cefet), única escola técnica na cidade do Rio de Janeiro que possui esta especialidade.

Segundo Raíza, o técnico de meteorologia, em geral, atua monitorando eventos atmosféricos locais, medições de temperatura, umidade,dentre outras avariáveis em uma estação meteorológica, além de auxiliar o meteorologista graduado em atividades como coleta de dados de modelos atmosféricos. No AN, a equipe de meteorologia “trabalha principalmente com o conforto da documentação”, afirma ela, realizando todo o acompanhamento das previsões meteorológicas que acontecem na cidade do Rio de Janeiro e a avaliação de como a temperatura e umidade externas podem afetar a documentação da Instituição.

A partir destas influências meteorológicas, medidas são tomadas para a proteção da documentação dos acervos.  A equipe também realiza a medição da temperatura e da umidade dos depósitos periodicamente. O prédio “não foi projetado para receber documentação” de forma apropriada, afirma ela, tomando como exemplo as janelas, que são muito grandes, permitindo a passagem e influência de temperatura e umidade externas. Ações são tomadas para a adaptação dos locais, de modo que os documentos sejam conservados. Este trabalho é feito em conjunto com a equipe de conservação e a equipe de refrigeração.

Em sua trajetória profissional, Raíza já trabalhou nos dois principais aeroportos do Rio de Janeiro como estagiária. No AN há três anos, a técnica e sua equipe colaboram com a conservação do acervo, através da meteorologia, sempre procurando aumentar seus conhecimentos, mantendo contato com técnicos e meteorologistas graduados de outras instituições.

“Tudo que a gente faz, estudamos na sala de aula e aplicamos aqui todo o conhecimento que estudamos no Cefet, afirma a estagiária Isadora. Raíza considera o emprego de estagiários uma oportunidade que o AN oferece de “aprenderem a meteorologia ligada à área de arquivos e conservação de documentos.”

Da esquerda para a direita,  Isadora Andrade Pereira, Raíza Pinheiro Victor de Araujo,

Ana Cristina Guimarães Ventura e Ana Carolina de Figueiredo Pinto

registrado em:
Fim do conteúdo da página